PASSO FUNDO – UPF Parque sedia encontro da Rede Gaúcha de Ambientes de Inovação

A cada dois meses, representantes de parques científicos e tecnológicos integrantes da Rede Gaúcha de Ambiente de Inovação (Reginp) se reúnem para trocar experiências, buscar novos métodos e melhorar processos. Nesta segunda-feira (16), o encontro ocorreu no Parque Científico e Tecnológico da Universidade de Passo Fundo (UPF Parque). A atividade contou com a presença do reitor da UPF, José Carlos Carles de Souza; do vice-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Leonardo José Gil Barcellos; e da vice-reitora de Extensão e Assuntos Comunitários, Bernadete Maria Dalmolin; além do coordenador do Parque, professor Charles Leonardo Israel; do gestor do Parque, Marcos Cittolin; e demais membros da equipe.

Além do presidente da Reginp, Carlos Eduardo Aranha, marcaram presença representantes das instituições: URI, PampaTec, Telnoparque (Santa Maria), TecnoUnisc, UCS, Feevale Tech Park, TecnoSinos, TecnoPuc, Zenit Parque (UFRGS), Tecnovates e Oceantec.

A programação teve início pela manhã, com a palestra “Marco legal da ciência, tecnologia e inovação”, ministrada pelo professor Dr. Jorge Audy, representante da Anprotec e pró-reitor da PUCRS, com a participação, via videoconferência, da professora do Programa de Pós-Graduação em Direito da UPF, Fabiola Zibetti. A videoconferência foi realizada por meio do trabalho da equipe da UPF Virtual. Entre os tópicos abordados, estiveram as mudanças nas leis, o que afeta as universidades em relação à captação de recursos, novos projetos, parques e incubadoras, bem como os NITs das Instituições.

O professor Charles apresentou os números institucionais aos participantes e destacou as principais áreas de atuação do UPF Parque, entre elas software, alimentos, metal mecânica, agricultura de precisão, biotecnologia, saúde e energia.

Em sua fala, o reitor José Carlos deu as boas-vindas aos presentes e ressaltou a importância do encontro. “Os encontros atuam como um instrumento para o crescimento e melhoramento dos parques e é fundamental que trabalhemos de forma conjunta para que os resultados sejam os melhores”, ressaltou.

Segundo Leonardo Barcellos, o Parque, por sua natureza de espaço inovador, está sempre aberto às mudanças e o trabalho coletivo é fundamental para que esse processo ocorra. “Estamos crescendo e ampliando. O fato de nosso UPF Parque estar na Universidade fortalece esse crescimento, uma vez que um parque tecnológico é o reflexo da pós-graduação de uma instituição. O cenário de prática oferecido pelo espaço oferece um ganho para o empresário, para o aluno e, consequentemente, para a comunidade”, destacou.

De acordo com Bernadete Dalmolin, a experiência entre pesquisa, inovação e extensão é enriquecedora e ocorre em várias áreas da Instituição. “É uma troca muito rica de saberes entre alunos e profissionais. Isso engrandece a Universidade e qualifica ainda mais a formação desenvolvida aqui”, pontuou a vice-reitora.

À tarde, o grupo fez uma visita à estrutura da UPF e realizou uma reunião de trabalho.

Fotos: Gelsoli Casagrande
Assessoria de Imprensa Universidade de Passo Fundo