NÃO-ME-TOQUE – Seminário Monitora debate manejo e conservação de solo

O debate sobre a importância das plantas de cobertura foi um dos destaques do Seminário Monitora Manejo e Conservação de Solo, realizado na manhã desta quinta-feira, 8/3, no auditório da produção, no Parque da Expodireto Cotrijal. A programação atraiu produtores e técnicos da Cotrijal, que promove o programa, visando levar informações sobre as práticas que podem contribuir para melhorar a qualidade do solo.

O produtor Rodrigo Schroeder, de Victor Graeff, é um dos que pretende investir em uma novidade que a Cotrijal está disponibilizando aos seus associados a partir deste ano: o Raíx., uma combinação de sementes de plantas de cobertura, cada uma com uma função diferente, que além de auxiliarem na adição de palha no solo, melhoram a ciclagem de nutrientes e aumentam o potencial de infiltração de água. “Aumentar a quantidade de palha na lavoura é um dos desafios hoje e acredito que esse mix vai ajudar”, aponta Schroeder.

Segundo o coordenador Técnico de Difusão da Cotrijal, Alexandre Doneda, algumas plantas, como as leguminosas, conseguem fixar nitrogênio do ar e trazer de forma gratuita ao solo. “Este é o foco, melhorar o sistema de rotação de culturas, adicionar palhada nas nossas lavouras e assim garantir o potencial produtivo ao longo dos anos”, frisou.

A programação teve ainda palestra com o engenheiro agrônomo, professor doutor da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) – campus de Frederico Westphalen, Antônio Luis Santi. Ele defendeu que a tecnologia deve ser uma aliada para entender melhor as necessidades do solo e avançar em produtividade e estabilidade de produção. “Precisamos difundir o conhecimento de que as plantas de cobertura atuam fornecendo matéria orgânica e nutrientes, incorporando carbono e favorecendo a atividade biológica do solo”, afirmou.

Estratégias de apoio ao sistema de rotação

O Programa Monitora existe na Cotrijal desde 2013. No primeiro ano, a cooperativa direcionou ações visando auxiliar o produtor no controle da lagarta Helicoverpa armigera, uma grande preocupação naquela safra. Em 2016, o programa foi retomado, desta vez com foco no controle do percevejo. E na safra 2017/18, as ações são focadas no controle do percevejo, que continua preocupando os produtores, mas tem reforço no manejo e conservação do solo.

“Queremos alertar o produtor que existem pontos que precisam ser melhorados no sistema de produção, especialmente a rotação de culturas”, informou o gerente de Produção Vegetal da Cotrijal, Juliano Tiago Recalcatti. “A estratégia do uso de plantas de cobertura é uma forma que a cooperativa entende como importante, já que a área de milho, cultura essencial para o sistema de produção, está sendo reduzida mais a cada ano”, esclareceu.

Assessoria de Imprensa da Expodireto Cotrijal