CARAZINHO – Duplo homicídio no Parque Municipal ocorreu porque vítimas reagiram

Ao conceder nova entrevista à Rádio Gazeta na tarde desta segunda-feira (15) e a partir dos depoimentos dos dois suspeitos detidos na manhã a delegada de polícia civil Heládia Cazarotto confirmou que os bandidos cometeram o duplo homicídio no Parque Municipal João Alberto Xavier da Cruz porque houve reação das vítimas.

Segundo a delegada, o autor dos disparos que confessou o crime relatou friamente o que aconteceu na tarde de sábado (13) no momento em que ele e o outro comparsa surpreenderam os três trilheiros de Não-Me-Toque que haviam ido ao local num grupo de amigos. O comparsa é o outro jovem preso, que não admitiu o crime.

No sábado, armados com um revólver calibre 38 os bandidos mandaram que as vítimas descessem das motos, tirassem os capacetes, as luvas, entregassem as mochilas e ficassem de joelhos.

Ainda conforme o depoimento do jovem que confessou o crime, uma das vítimas deve ter imaginado que o revólver não era de verdade, tentou desarmá-lo, o amigo quis ajudar e por esse motivo eles foram baleados.

A polícia localizou na casa do bairro São Lucas os capacetes, luvas e mochilas com ferramentas das vítimas Alexandre Soder (28) e Carlos Henrique Hoppen (22),metalúrgicos da cidade de Não-Me-Toque. Alexandre trabalhava na Grazmec e Alexandre na Roster.

Ambos foram sepultados neste domingo (14). Carlos em Lagoa dos Três Cantos e Alexandre em Não-Me-Toque. Carlos era noivo e ainda não tinha filhos. Alexandre era casado, pai de uma menina de 3 anos, e o casal esperava o segundo filho.

Belina em Passo Fundo
A polícia localizou na cidade de Passo Fundo a Belina que teria levado a dupla de criminosos até o Parque Municipal. A princípio, conforme a delegada, o motorista não teria envolvimento, pois os jovens teriam pago a ele gasolina para uma carona até o parque, sem dizer que estavam indo lá para roubar.

Gazeta AM