PASSO FUNDO – Mesa Diretora toma posse na Câmara de Vereadores

Com Pedro Daneli (PPS) de presidente, Legislativo visa dar prosseguimento à aproximação com a comunidade e na mediação de temas relevantes para Passo Fundo

A nova Mesa Diretora da Câmara de Vereadores de Passo Fundo tomou posse em sessão solene no fim da tarde desta terça-feira (2). O novo presidente do Legislativo, Pedro Daneli (PPS), assume pela primeira vez a Casa, apesar de já estar no seu sexto mandato. O parlamentar substitui Patric Cavalcanti (DEM), que retorna para o gabinete. O vice-presidente do legislativo será Roberto Gabriel Toson (PSD).

Na 17ª legislatura, a Câmara de Vereadores teve uma mudança no Regimento Interno da Casa. Até 2016, um vereador ocupava o posto de comando no Legislativo a cada dois anos. A modificação recente, entretanto, prevê que cada formação da Mesa Diretora seja por um período de 12 meses, com o intuito de propiciar maior revezamento nos cargos, oferecer mais espaço aos partidos e oxigenar a gestão.

Apesar da vasta experiência como vereador, Daneli acredita que assume o cargo máximo do Legislativo Municipal num período diferente de quando entrou, em meados de 1992. Segundo o parlamentar, o momento é de encontrar uma Casa multipartidária, com políticos que tratam assuntos relevantes sem imposições de partidos ou alianças. Em entrevista para a Rádio Diário AM 570, ele descreveu que a Casa manterá o objetivo de crescimento de Passo Fundo. “Estamos focados na cidade, no seu crescimento. Independente de pensamentos políticos, do vereador A que coloca um projeto, todos temos objetivo de melhorar. Antigamente víamos disputa política, de partido, um [vereador] falando do outro. Hoje não vemos mais isso. É uma realidade diferente”, afirma.

Com a responsabilidade de representar a Câmara de Vereadores, Daneli relata que sua presença, nesta temporada, será maior na Casa do que nos bairros. Mesmo assim, ele garante que a comunidade não ficará desassistida por ele, muito menos pelos 21 vereadores. “Vamos continuar visitando as vilas, os bairros, o Centro. Com mais responsabilidade, representando a Câmara. O presidente não poderá estar em todos os lugares, mas a Câmara, como um todo, vai continuar com essa aproximação. Gosto de ouvir e observar o que acontece ao redor, assim temos mais embasamento para tomar decisões”, declara.

Ciente das reduções de verbas oriundas do governo federal e estadual, o novo presidente sinaliza que o trabalho terá prosseguimento com verbas locais. “Nós temos que pegar os nossos recursos para dar continuidade ao trabalho que vem sendo feito em Passo Fundo, de investimento em áreas importantes, como saúde, educação e segurança”, completa Daneli. Um dos facilitadores para a condução da Mesa Diretora, segundo o parlamentar, é a qualificação do quadro de funcionários. “Vai ser uma experiência nova para mim, temos muitos colegas no primeiro mandato. As pessoas que trabalham lá são responsáveis. Temos um quadro de funcionários muito competente”, define.

Mesa Diretora

Ao lado de Daneli, a Mesa Diretora será composta também pelo vereador Roberto Gabriel Toson (PSD) na vice-presidência. Como 1º secretário atuará Leandro Rosso (PRB); o 2º secretário será Rafael Colussi (DEM); 3º secretário, o vereador Renato Tiecher (PSB) e 4º secretário, Rudimar dos Santos (PCdoB). Os nomes de 2019 e 2020 para composição da Mesa ainda não foram definidos.

Há mais tempo na Câmara de Vereadores

Pedro Daneli iniciou sua trajetória política em 1992, quando foi eleito o vereador mais votado do PMDB, com 1.464 votos. Em 1996 foi reeleito; em 2000, novamente teve êxito no pleito, assim como em 2004. Em 2008, ficou como primeiro suplente e em 2011 se filiou ao PPS. No ano seguinte concorreu a vereador, novamente se elegendo com 2.293 votos, fazendo parte da primeira bancada do partido na Câmara Municipal. Já em 2014 concorreu a deputado federal, mas não conseguiu vaga na Câmara Federal. Nas últimas eleições, com 1.510 votos, conseguiu se manter no Parlamento que vai comandar neste ano.

Patric se despede da Mesa com avaliação positiva

Em um mandato com mais de 50% da Câmara de Vereadores renovada, o até então presidente da Mesa Diretora Patric Cavalcanti (DEM) avalia de forma positiva o ano de 2017. Em 2017, foram 3.417 matérias protocoladas pelos 21 vereadores da Casa. A previsão orçamentária, que era de R$ 18,2 milhões, encerrou com R$ 15 milhões de gastos, com R$ 3,2 milhões de recursos que ficarão para novos investimentos em segmentos da cidade. Além disso, o Legislativo conseguiu reduzir os gastos em diárias.

De acordo com Cavalcanti, o ano foi de aproximação com a comunidade e com os pares do legislativo. “Conseguimos alcançar metas que havíamos planejado, como redução de gastos, de diárias. Em 2016 foi gasto R$ 50 mil em diárias, no último ano foi R$ 44 mil em diárias, mesmo com muitas viagens a Brasília e Porto Alegre para tratar assuntos importantes”, pontua.

Entre os temas abordados pela Câmara, o parlamentar destaca a devolução da área do Creci (questão judicializada, atualmente), segurança pública, área da Manitowoc, duplicação da BR 285, incentivos fiscais de empresas, aplicativos de transporte privado e o Aeroporto Lauro Kortz. “Os vereadores novos vieram com novo oxigênio. Debatemos temas importantes. Passo Fundo foi, por exemplo, a única cidade no Brasil que conseguiu conversar com taxistas e permissionários, que auxiliaram e ajudaram na aprovação da lei dos aplicativos de transporte privado. Enquanto outros municípios e estados tiveram divergência e até mesmo casos violentos, a cidade veio na contramão”, avalia.

De volta ao gabinete, Patric relata que nesta temporada deverá retornar de forma mais presente nas comunidades e ouvir as demandas da população. De acordo com ele, alguns projetos já foram alinhados para traçá-los na Casa Legislativa em 2018. “Meu foco vai ser conversar com o povo nos bairros, escutar as demandas. Já conversamos sobre alguns temas que logo estarão prontos para sair do forno”, completa o ex-presidente da Mesa Diretora.

Jornal Diário da Manhã