Diálogo Espírita – ANIMAIS

Em 7 de julho de 2012 foi declarada publicamente em Cambridge, Reino Unido, a Consciência Animal, nos seguintes termos:

A ausência de um neocórtex não parece impedir que um organismo experimente estados afetivos.

Evidências convergentes indicam que os animais não humanos têm os substratos neuroanatômicos, neuroquímicos e neurofisiológicos de estados de consciência juntamente com a capacidade de exibir comportamentos intencionais.

Consequentemente, o peso das evidências indica que os humanos não são os únicos a possuir os substratos neurológicos que geram a consciência.

Animais não humanos, incluindo todos os mamíferos e as aves, e muitas outras criaturas, incluindo polvos, também possuem substratos neurológicos.

Na conclusão vemos que não somente os animais de estimação apresentam momentos de afetividade e consciência, mas, também, os que servem para o alimento dos humanos.

A Espiritualidade maior informa que futuramente os humanos não se servirão de animais para se alimentar, entretanto, de momento ainda é um grau de inferioridade de todos nós.

Muitos já tomaram consciência e não utilizam mais este processo carnívoro e aos poucos mais pessoas vão aderindo a esta mudança de comportamento.

(Sociedade Espírita Raios de Luz de Tapera)