Diálogo Espírita – RECONCILIAÇÃO

O Evangelista Mateus, no Capítulo 5, Versículo 25, registra as seguintes orientações de Jesus:

“Reconcilia-te depressa com o teu adversário, enquanto estás a caminho com ele, para que não aconteça que o teu adversário te entregue ao juiz e o juiz te entregue ao oficial e te encerrem na prisão”.

Reconcilia-te com o teu adversário enquanto estás a caminho com ele, quer dizer, fazer as pazes com o adversário enquanto estão reencarnados nesta existência.

Esta reconciliação pode ser tanto física como espiritual. No caso de ser difícil a reconciliação física, a eliminação da energia negativa da antipatia pode ser dissolvida por intermédio da Ferramenta da Prece.

Silenciosamente fazendo orações em benefício do adversário, as energias negativas vão se dissolvendo, podendo até ocasionar a aproximação e reconciliação física.

Caso não haja a reconciliação, o adversário poderá vir a fazer parte da família na próxima reencarnação, sendo aquele parente difícil, que pode ser o cônjuge, filhos, pais ou irmãos, ou mesmo tios, vizinhos e colegas.

Como perdoamos pouco na existência anterior, estamos cercados por desafetos, o que pode ser comprovado pelos mais diversos grupos familiares.

Caso o adversário não reencarne, passa a perseguir o desafeto como Espírito, influenciando negativamente na mente do seu inimigo reencarnado, provocando desequilíbrios mentais, sofrimentos, separações, agressividades e até crimes ou suicídios, principalmente se a atual vítima não se liga a Espiritualidade, às Orações, Meditações para se melhorar moralmente e efetuar a prática do bem, desde as pequenas coisas.

Sociedade Espírita Raios de Luz de Tapera