CRUZ ALTA – Ajuizada ação contra ex-prefeito Juliano da Silva, por suspeita de enriquecimento ilícito

A ação contra o ex-prefeito foi ajuizada pela promotora Tássia Bergmeyer

Tramita na Justiça de Cruz Alta ação civil pública por improbidade administrativa ajuizada contra o ex-prefeito da cidade, Juliano da Silva, por enriquecimento ilícito, praticada no mandato 2013-2016. A ação, ajuizada pela promotora Tássia Bergmeyer da Silveira, no dia 06/06, teve os pedidos liminares deferidos, em parte, no último dia 14.

Durante as investigações, foram obtidos dados por meio de quebra de sigilos bancário e fiscal, analisados pelo Laboratório de Tecnologia contra Lavagem de Dinheiro do Ministério Público (LABMP-RS). O laboratório concluiu que o aumento patrimonial do ex-prefeito foi superior aos rendimentos disponíveis.

Essa conduta, conforme a promotora, ofende a Lei Federal 8.429/1992, que tipifica como enriquecimento ilícito a evolução patrimonial desproporcional aos rendimentos do agente público durante o mandato. Conforme análise a partir de informações do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) sobre a matéria.

Foi detectada a existência de bens ocultos de propriedade do ex-prefeito em valores superiores a R$ 400 mil, transações em dinheiro vivo (como pagamentos de até R$ 200 mil), transporte de dezenas de milhares de reais entre cidades para aquisição de bens, uso de ‘laranjas’, depósitos de grandes valores de forma fracionada (indício de ‘smurfing’), entre outros.

(Cruz Alta Online)