Dano moral entre jornalistas

O jornalista Paulo Henrique Amorim (Record) terá de pagar uma indenização ao seu colega Heraldo Pereira (Globo) no valor de R$ 30 mil, a título de dano moral. O valor pedido era de R$ 300 mil.

Paulo Henrique Amorim publicou em seu blog “Conversa Afiada”, declarações consideradas racistas contra o repórter – e hoje apresentador – da Rede Globo, Heraldo Pereira.

No texto Amorim escreveu que Heraldo “era negro de alma branca” e insinuou que o colega de profissão seria empregado de Gilmar Mendes, ministro do STF.

PHA também terá que se retratar por meio de um texto afirmando “que reconhece Heraldo Pereira como jornalista de mérito e ético; que Heraldo Pereira nunca foi empregado de Gilmar Mendes; que apesar de convidado pelo Supremo Tribunal Federal, Heraldo Pereira não aceitou participar do Conselho Estratégico da TV Justiça; que, como repórter, Heraldo Pereira não é e nunca foi submisso a quaisquer autoridades; que o jornalista Heraldo Pereira não faz bico na Globo, mas é empregado de destaque da mesma; que a expressão negro de alma branca foi dita num momento de infelicidade, do qual se retrata, e não quis ofender a moral do jornalista Heraldo Pereira ou atingir a conotação de racismo”.

HP anunciou que, mensalmente, repassará as seis parcelas de R$ 5 mil para uma instituição de caridade e que, oportunamente, fará nos autos processuais a comprovação do repasse.

Ai está um legítimo caso de dano moral.