Brasil tem mais ex-fumantes do que fumantes, revela pesquisa

O número de fumantes vem caindo anualmente no Brasil, passando para menos de 14,8% da população em 2012, revela uma pesquisa divulgada nesta terça-feira pelo Ministério da Saúde. Segundo o ministro Alexandre Padilha, nos últimos anos conseguiu-se alcançar mais ex-fumantes do que fumantes. Os dados são da pesquisa Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico).

“A meta agora é reduzir o tabagismo entre a população mais nova e com menor escolaridade”, explica Padilha. Ele lembrou que recentemente a Anvisa proibiu a comercialização de cigarros com aromatizantes e garantiu que o governo vai intensificar a fiscalização contra cigarros contrabandeados. Outra medida recente para reduzir o número de fumantes foi a proibição de fumódromos em locais públicos. “Espaços coletivos e locais de trabalho são lugares que têm que estar livres do tabaco”, argumentou o ministro.

Padilha disse que a redução de fumantes explica a queda anual de 1,98% das mortes por doenças cardiorrespiratórias no Brasil. O número de fumantes pesados (que fumam mais de 20 cigarros por dia) também caiu e está em 4,3%. A maioria dos consumidores de tabaco são homens.

A pesquisa Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico) coletou dados em todas as capitais para fazer um diagnóstico da saúde do brasileiro a partir de perguntas sobre o hábito da população. Segundo o Ministério da Saúde, a adesão à pesquisa é grande, com mais de 50 mil participantes.

Fonte: Terra